MENU

Tarot Filosófico: A Estrela – Dias de Acreditar

Gisele Valadares
21 de fevereiro de 2017

       Arcano XVII – A ESTRELA – Semana de Renovar a Esperança

 Espero sinceramente que o Sol esteja brilhando no seu céu, pois aqui, para mim, ainda é noite. Ainda estou com frio, sozinha, com minhas incertezas, manias e defeitos. Mas não me desespero, pois eu não perdi minha fé, minha esperança, a alegria e vontade de viver… de acertar. Sei que depois de toda noite, vem o dia, então, aguardo confiante pelo amanhecer. A ESTRELA é a carta que representa a vibração da semana e vem nos lembrar que a situação em que nos encontramos talvez não seja a das melhores, mas que não devemos nos abalar, desesperar, desacreditar, parar. Vamos continuar, perseverar, que com certeza, tudo há de passar e um momento mais próspero irá chegar.

     Esta carta é uma das minhas preferidas. Em sua simbologia vemos uma mulher nua, que derrama o conteúdo de dois jarros, mostrando desapego. Ela fez o que tinha que ser feito, agora é só esperar. As estrelas a sua volta representam proteção e esperança. Ela não lamenta ver suas mãos vazias, ao contrário, sabe que muitas vezes é a única condição para pegar o que realmente é dela. Assim que for a hora.

     Na semana passada, A MORTE e o NOVE de OUROS, nos falaram do fim. Após as finalizações sempre existe um vazio. Para alguns, algo assustador, para outros, o espaço necessário para que algo novo, diferente e melhor possa chegar. Não tema essa ausência, agradeça. O conselho é para acreditarmos. Em quê? Em nós mesmos, nas pessoas e na vida. Acreditar é um verbo que teve sua origem na frança, ACCRÉDITER,  que utilizou o termo CREDITUM, do latim que significa “entregar uma soma a alguém” e de CREDERE, “crer, confiar”. A pergunta é: você tem dado crédito à vida, à você, aos outros? Precisamos aprender a valorizar devidamente tudo isso!

     Atenção: Sem acreditar, não tem jeito não!!!!! Temos que confiar, temos que ter fé (acredite em mim, rsrs)! Teve um tempo que deixei de acreditar, nada mais fazia sentido. Foram tantas dúvidas  e decepções que não tinha mais em que me agarrar. Perdi meu chão. Não existia a felicidade, um destino, um lugar. Viver se transformou em um fardo difícil de carregar. Com o tempo, percebi que justamente a falta de um sentido maior era o que me faltava. De repente, ficou claro o quanto essa oportunidade de estar viva é especial e abençoada. Compreendi que todas as dificuldades que eu encontrava, nada mais eram do que ensinamentos valiosos. Eu estava exercitando e fortalecendo minha alma. Todas as minhas perdas, dores, provações, quando superadas (e elas sempre podem ser superadas), me faziam maior. Eu crescia.

     Então gente confie. Se estiver impossível, busque um sentido para dar a essa existência, mas não permita essa lacuna. Isso é algo que não pode faltar! Agora detalhe: é loucura você ser uma pessoa cheia de fé e confiança, mas que fica de braços cruzados, sem colaborar em nada para o acontecimento das melhorias esperadas. É muito insano aguardar por algo que não estamos indo buscar. Simples assim! Então vamos lá, confiantes plantar, o que queremos colher.

     Estes são dias de não lamentarmos pelo que não temos mais, pelo que passou, pelo que é. Vamos encarar com alegria este momento, mesmo que escuro. Vamos acreditar, sonhar, fazer nossa parte, aguardando confiantes pelo amanhã mais feliz. Desapego é a palavra de ordem. Me perguntaram se é para acreditar ou desapegar, como se isto fosse algo contraditório. De fato, aparentemente sim, mas quem desenvolve o apego, não crê em falsas crenças, não insiste no que não deu certo, segue livre e confiante que tudo que for para ser seu, no tempo certo, será. Quando digo em perseverar, falo da busca incessante da felicidade, não de obcecadamente tentarmos conquistar o que não é para gente.

    Qual será o motivo para tamanha dificuldade em vivermos apenas o presente? Por quê nos agarramos tão firmemente em coisas, pessoas e situações, se sabemos que tudo é passageiro? Por qual motivo optamos por uma posição cômoda, aguardando o futuro, cheios de expectativas, ao invés de nos contentarmos com o que temos hoje, aqui e agora, sempre dando nosso melhor? O novo sempre vem, as coisas mudam, tudo passa, devemos aceitar esta realidade e viver em conformidade com ela.

     Sempre nas minhas consultas faço a seguinte metáfora quando esta carta aparece: a situação representada por este arcano é como a luz no fim do túnel. Ainda estamos no escuro, no calor, abafados, oprimidos, mas sabemos que logo ali na frente está a saída. Basta o caminhar esperançoso e chegaremos ao final dele. E um dia lindo, novos ares, total claridade, é o que encontraremos. Acredite!

     Boa semana para todos!!

“E, então, fazer valer a pena cada verso

daquele poema sobre acreditar… “

(trecho da música Trem Bala de Ana Vilela)

Fonte: http://giselefilosofia.blogspot.com.br/

Sobre o autor

Gisele Valadares