MENU

Sonhos com o futuro: sincronicidade ou premonição?

Lázaro Freire
1 de dezembro de 2016

Sonhos com o futuro: sincronicidade ou premonição?

O inconsciente, de onde vem os sonhos, é atemporal.

Imagine que alguém esteja diante de uma linha de trem, perto de um montanha. Os momentos antes do trem passar, quando ele ainda não estava visível, esta pessoa chamaria de passado. Enquanto estiver vendo o trem, chamaria de presente. E após o trem passar, chamaria de futuro. Entretanto, para um observador do alto da montanha, grande parte dos três instantes seriam igualmente visíveis, ainda que mais distante e panorâmico. Tudo seria um único continum, pois olhando do alto, sua referência de tempo-espaço seria outra.

O inconsciente é como este observador do alto. Para lhe passar um recado, normalmente se utiliza – dentre várias possibilidades – de fatos de um passado recente, ou de imagens particulamente marcantes de passados mais distantes. Mas essas não são as únicas possibilidades.

Se no dia seguinte (ou seja, pouco além na estrada do trem) houver um fato (ou possibilidade de fato, dependendo da crença) que seja impactante ou simbólico o suficiente, ele poderá utilizar como tema para o sonho, DO MESMO MODO que poderia ter pego um fato de um dia anterior.

Note que isso não significa sempre “premonição”, embora seja uma possibilidade. Por exemplo, posso entrar em uma rua desconhecida e, de repente, ver uma loja “Casa de Ferragens São Tomé” e só aí lembrar que eu havia sonhado exatamente com isso na noite anterior. Não faz sentido “prever” isso, seria uma informação irrelevante. Mas provavelmente meu inconsciente estaria falando, por exemplo, das questóes de minhas crenças/ceticismos (São Tomé), e olhando “do alto da montanha”, encontrou no dia seguinte uma boa metáfora para se comunicar, melhor que as possibilidades de dias anteriores.

No seu caso, você pode ter “visto do alto” o atropelamento, e, por isso, se impressionado, sonhando com o evento. Neste caso, seria uma espécie de premonição. Mas por experiência clínica, acho mais produtivo você interpretar o sonho independente do atropelamento do dia seguinte; e considerar o fato de ter presenciado o acidente como uma “sincronicidade”, reforçando mais ainda a mensagem do sonho.

Neste caso, você poderia se perguntar em que campos tem se sentido atropelada, ou atropelando as coisas? Há algo que esteja em ritmo acelerado demais? Se sim, preste atenção. Caso contrário, pode se tratar mesmo de uma premonição.

Lázaro Freire
Filósofo e Psicanalista

Quer saber mais sobre Sonhos e Sincronicidades? Saiba mais do nosso curso online completo.

Photo: eschipul via VisualHunt / CC BY-SA

Sobre o Autor

Lázaro Freire

Lázaro Freire